Blog sobre gravidez, maternidade e família.

Perfil de comportamento – 8 anos

Posted by on ago 27, 2013 in Destaques, Psicologia Infantil | Comentários

Perfil de comportamento – 8 anos

Lembram da idade dos 4 anos? Aquela fase expansiva, agitada e de afirmação? Pois é, os 8 anos relembram os 4, porém com uma diferença: num nível mais elevado de maturidade. Uma criança de 8 anos é uma versão mais elaborada e que se aproxima mais do mundo adulto. É menos pensativa e reflexiva, porém é mais rápida nas suas reações e atitudes. Os aspectos mais vistos nessa fase são rapidez e comunicação. Há na criança uma nova disposição de ativa curiosidade, uma energia crescente e certa solidez em sua personalidade. Até no aspecto físico ela aparenta estar mais amadurecida.

As crianças de 8 anos são geralmente mais saudáveis e cansam-se menos que as de 7. Entregam-se mais a brincadeiras de luta e jogos violentos, pois o seu ritmo motor mostra-se mais acelerado. Tais comportamentos agitados são mais vistos em meninos do que em meninas — estas preferem brincar de cozinhar, fazer bolos e comidinhas.

Brincam, leem, falam, andam, escrevem, comem e sentam de forma acelerada. Parecem ligados na tomada! O andar é ligeiro, têm consciência da sua postura e lembram-se de se sentarem direito quando necessário; gostam de criticar os outros. Coragem e audácia fazem parte dessa nova configuração. Detestam brincar sozinhas e sempre buscam alguém para lhes fazer companhia.

Apetite: comem bem e com gosto, às vezes de forma devoradora. Depois de comerem uma porção pedem mais ou ficam “beslicando” mesmo após uma refeição. Utilizam o olfato no controle de qualidade da comida: saboroso ou repulsivo? O nariz é quem faz dizer. Sabem manejar os talheres, ainda que algumas crianças os utilizem com a palma da mão para baixo. São capazes de cortar os alimentos com maior habilidade do que antes.

Sono: há nitidamente uma tendência para se deitarem mais tarde. Embora saibam ver as horas, elas ainda não utilizam essa capacidade para se prepararem para ir para cama, sendo necessária a intervenção ou a insistência de um adulto para dormirem. Algumas ficam enrolando ou buscam argumentos para não deitarem.

As crianças nesta idade estão inclinadas a serem impacientes, especialmente cosigo mesmo, pois querem que as coisas aconteçam de uma hora para a outra e não conseguem esperar. São mutáveis e incapazes de manter os mesmos interesses: mudam de ideia com frequência.

Gostam de ter atenção constante de alguém — precisam de ajuda para realizar melhor uma tarefa, de elogios e encorajamento. Teatralizam tudo e inventam historias para expressar seus sentimentos “dramáticos” — o teatro requer plateia, e elas adoram ser a atração. São exigentes com a mãe e persistentes em fazer-lhes às vontades. Desfazem-se em lágrimas por inúmeras razões, principalmente quando estão cansadas. Magoam-se com facilidade, em especial no que toca às relações emocionais com a mãe. São sensíveis às suas criticas, pois esperam dela (da mãe) sempre apoio e aprovação. Nessa fase elas ainda estão muito ligadas à mãe e reconhecem todas as suas expressões e olhares, até mesmo um franzir de sobrancelhas (desaprovação) ou um sorriso (aprovação).

two-boys-fighting

As crianças de 8 anos comportam-se, geralmente, melhor quando estão fora de casa, pois gostam de se mostrar externamente mais sociáveis. Criam novas relações com bastante facilidade e são mesmos capazes de iniciar uma conversa com pessoas desconhecidas. Falam bem ao telefone e são capazes de tomar nota por escrito de uma simples mensagem. Em casa são bastante resmungonas e mais indispostas em tarefas tais como ajudar sua mãe ou arrumar seu quarto.

Adoram bebês e são curiosas acerca da origem da vida, reprodução e casamento. As meninas reproduzem tais conteúdos através do faz de conta e brincadeiras com bonecas, em que mesclas tais eventos e funções: mãe, filho, médica, professora, grávida, entre outros.

A criança de 8 anos expande-se em tantas direções que é impossível resumir numa frase a sua diversidade. As diferenças individuais mostram-se mais acentuadas e as sexuais (menino vs. menina) começam a se tornar significativas. Nessa fase começamos a notar mais claramente uma indivíduo singular que interage, atua e participa juntamente a outras pessoas do mundo e suas relações.