5 comments

Oi queridos.

O post de ontem foi bastante comentado, mas eu talvez tenha errado no título. Existem casos em que a situação não está sob o controle da mãe, não é mesmo? Bom, mas quem leu o texto entendeu o que estou falei. 😉

O “A Mãe é quem escolhe” de hoje é um pouco menos vulnerável a fatores externos. Pelo menos no começo. É de fato a Mãe quem decide por quanto tempo vai amamentar seu filho, salvo em casos especiais.

Uma vez me falaram o fato de ter leite ou não depende apenas de estímulo. Seja físico ou por medicamentos. Uma prova de que isso faz sentido é o fato das mães adotivas conseguirem amamentar seus filhos, conforme comentei no post  “Existe uma forma de aumentar a produção de leite?”  Bom, mas nós sabemos que não é tão simples assim. Já ouvi histórias de pessoas que estimularam e tomaram medicamentos e mesmo assim não tiveram leite. Não sei até que ponto aconteceu esse estímulo, se ela estava bem assistida ou até mesmo se ela estava passando por um momento de stress muito grande que dificultou ainda mais esse processo de produção.

“Por quanto tempo devo amamentar meu filho?”…. Essa discussão é bastante recorrente nas redes sociais entre as mães.

Vocês já leram o post Para onde foram meus seios? Pois é… na época eu não mencionei que eu também tinha emagrecido 6Kg além do peso da gravidez, ou seja, eu tinha era perdido a gordura dos meus seios. Mas não importa. Eu iria amamentar até quando fosse necessário ou “me desse na telha”.

SE a mãe tem leite e o se bebê mama bem, eu acho SIM que faz parte da obrigação da mãe amamentar até os 6 meses de idade ou até quando a licença maternidade permitir. Esse é o mínimo recomendável e o bebê precisa dos anticorpos e nutrientes do leite materno. Mais uma vez, reforço… existem casos em que isso não é possível. Além da falta de leite, existem mães que sofrem muito com a amamentação no início. Falo por experiência de pessoas muito próximas a mim que com acompanhamento, incentivo e uso de pomadas e outros acessórios, a amamentação pode deixar de ser uma “tortura” e passar a ser um prazer.

Se você está com dificuldades de amamentar, o post Amamentação: produtos que ajudam a tornar esse momento ainda mais prazeroso e o Amamentação gostosa = Pega correta podem ajudar.

Receita rápida: Pomada Lansinoh + pega correta + amor + paciência.

Após o período de amamentação exclusiva a opção de amamentar depende sim de muitos fatores. Trabalho, tempo, condições. E você não precisa parar de uma vez.

Mais uma vez, a mãe que amamenta dois ou três anos não é mais mais do que a que amamentou por 6 meses. Cada pessoa tem uma condição de vida, necessidades e vontades.

Vontades sim. Muitas mães optam por amamentar mais tempo porque gostam, porque faz bem à criança. Temos que respeitar (apesar de eu achar feio uma criança de 3 anos de idade mamando no peito mas isso é a minha opinião e não faz a menor diferença na minha vida se a fulana dá mamá ou não, certo?)

Em março fiz um Relato de Amamentação para o Portal Uma Mãe das Arábias e copio abaixo:

O meu aleitamento foi bem tranquilo, graças à Deus. Minha mãe e minha sofra dizem que é porque sou calma… Nunca me achei calma, pelo contrario… No trabalho era acelerada, queria fazer tudo, dar conta de tudo. Mas a maternidade veio pra mim de uma forma muito natural.
Não fiquei pensando se eu poderia ou não amamentar. Acho e sabia que era um processo natural e que aconteceria.
Tudo ocorreu bem na gravidez, no parto, e apesar de um pouco curiosa não quis me preocupar se o leite ainda não havia descido no hospital.
A pega da minha filha foi perfeita no primeiro dia! Com excessão da segunda noite e algumas “sugadas” mais fortes, nunca tive problemas com fissuras, dores, etc. Correção: a dor existiu sim, mas foi suportável.

Acho que hoje as pessoas estão mais conscientes (pelo menos as mais esclarecidas) quanto a importância da amamentação exclusiva nos 6 primeiros meses de vida do bebê e quanto à alimentação saudável. Eu pelo menos via assim: que eu DEVIA amamentar exclusivamente até os 6 meses, e depois disso ir conciliando com a alimentação solida.
Sempre tive apoio.

Minha pequena foi para a escolinha com apenas 4 meses e meio. Quando fui conversar com a pediatra, ela me disse que se eu quisesse enviar leite materno para o berçário, que eu teria que primeiro ver se eles aceitavam, e depois que eu teria que congelar e levar em bolsa térmica com gelox etc etc etc… Tudo certinho.

Isso não foi problema. Eu já tinha a bombinha de leite, potinhos e mamadeiras… Comprei os saquinhos e a bolsa térmica e levava o leite congelado.

No começo o suficiente para 2 mamadas(período de 6h), e depois dos 6 meses e meio, apenas para uma mamada.

Com 8 meses e meio precisei introduzir a fórmula na escolinha, pois não estava produzindo leite suficiente para tirar 150mL após as mamadas em casa.

Com 9 meses e meio parei de trabalhar e ela só mamava a noite. Comecei a tirar devagar pois ela já comia de tudo e mamava a formula sem problemas. Meu seio não enchia como antes por causa do intervalo maior entre as mamadas e parei de amamentar com 10 meses e meio.

Sou super a favor da amamentação, mas EU não queria de ver minha filha já andando e com dentes, puxando minha blusa no meio da rua! Hahahah

Enquanto ela era um bebezinho e PRECISAVA de fato do meu leite e do meu peito, eu dava mesmo. Era a única forma de alimentar minha filha. Não tinha que ter pudor. Ela precisava de mim e eu precisava alimentá-la. Já depois dos 10 meses eu não me sentia mais à vontade para amamentá-la na frente de outras pessoas. Opção.

Vejo muitas mães super denfensoras da amamentação até 2, 3 anos, mas acho desnecessário.

Bjos!!!!

Repito, acho desnecessário mas respeito.

Acho que depois de 1 ano fica mais difícil pra tirar o bebê do peito. Eles tem as vontades deles, reclamam, pedem, fazem birra, mas é óbvio que amamentar traz benefícios para a criança.

O momento revelação do post vem agora… a quem possa interessar, a vida de casal mudou pra melhor depois que parei de amamentar. Para quem quiser saber mais a respeito, me mande e-mail aninha@lookbebe.com.br ou Inbox no facebook.

O importante é: faça o que você tem vontade e o que acha melhor pro seu filho. 6 meses, 1 ano, 2 anos… não importa. SEJA FELIZ COM A SUA ESCOLHA!

Na foto a Bru tinha 9 meses! 😉 OIIIINNNNNNN

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.