2 comments

É ou não é uma alegria o dia em que as crianças quebram aquele cofrinho que a vovó deu de presente quando eles tinham uns 3 ou 4 anos?????

E a alegria não é à toa! Nada dá tanta satisfação quanto ter conseguido guardar de pouco em pouco, e daí então comprar aquele tão sonhado brinquedo.

Numa rápida enquete que fiz com as amigas das minhas filhas fiquei surpresa como esse assunto ainda é bagunçado na vida delas: umas nunca ganharam mesada, outras ganham, mas sem regularidade nem período definido, e tem aquelas que ganham uma montanha de dinheiro….

A mesada é uma importante maneira de se educar os filhos para lidar com finanças. Ela ajuda as crianças a fazerem o uso consciente do dinheiro, ensinando-os a ganhar, poupar e investir.

Ganhar mesada ajuda no senso de responsabilidade, no planejamento e nos limites.

A turminha 10&Twelve começa a ter uma participação maior em sociedade, e junto com ela algumas necessidades que tornam a mesada indispensável para o dia a dia.

O lanche da escola, um livro que eles querem muito ler e como não citar os aplicativos e as músicas que eles querem baixar!!

Mas como definir para quais coisas a mesada será usada? Cabendo no orçamento dos pais, é importante que as crianças façam uma lista das suas “necessidades” para em seguida fazerem uma separação entre o que é útil a vida e o que é apenas um desejo.

É um exercício diário remar contra o consumismo e por isso mesmo aqui em casa a gente sempre faz uma reflexão sobre aquilo que precisamos ou aquilo que apenas desejamos comprar.

Essa turminha já começa a selecionar os grupos sociais nos quais está inserida e naturalmente sofre influência deles. Esse desejo de “ter” coisas cedo ou tarde vem à tona, e antes de sair comprando e torrando toda a mesada é bom refletir se é só uma influência, ou uma vontade passageira ou se é um gosto pessoal por alguma coisa.

Daí é hora de olhar pra mesada e pensar mesmo em poupá-la, caso a criança não tenha todo o dinheiro pra comprar aquilo que quer.

Há um ano minha filha, na época com 9 anos, queria um estojo importado de canetas para desenho. Achei que mesmo sabendo que ela daria um super valor para o estojo (já que ela ama desenhar) ela deveria se planejar para comprar com a mesada dela. Para isso precisava guardar 8 meses de mesada sem gastar nenhum centavo. #vaivendo

A cada novo desejo de comprar algo aparecia àquela nuvenzinha em cima da cabeça dela com o seu pequeno sonho: “Aiiiii….as minhas canetinhas!!!!”

Confesso que foi um enorme sacrifício pra ela, mas também um grande aprendizado. E por fim lá estava ela comprando as canetinhas…

Muitos pais preferem deixar a mesada apenas para aquilo que as crianças desejam comprar. Vai de cada um nessa hora, mas independente da escolha vale lembrar que é importante ensinar as crianças o valor das coisas, a importância de poupar e planejar o uso do dinheiro até a próxima mesada.

Feito isso é bacana a gente acompanhar como e com o que eles estão gastando. É fundamental auxiliar nos cálculos, estimular e exigir que eles verifiquem o preço das coisas e confiram o troco.

Para quem tem mais de um filho, os menores devem mesmo ganhar menos. Isso por que dependendo da idade eles não conseguem ter controle dos gastos nem planejar esse pequeno “orçamento” por um longo período de tempo, além disso, os mais velhos podem ter necessidades a mais que os pequenos não têm. Especialistas indicam semanada para as caçulas.

O detalhe final é que depois do cofrinho o melhor jeito de guardar o dinheiro é ter uma carteira. Há algumas que tem um cordão como acessório para que eles pendurem no pescoço. Ajuda a não perder!!

Lições aprendidas agora é deixar rolar e ver como se descobrem nossos pequenos “economistas”.

A seguir dica de 2 livros e um jogo que podem dar uma força nesse aprendizado!!

 

Beijos

Cami

Sobre Camila

Mãe da Victória e da Helena, aprendiz de escritora, apaixonada por essa galerinha 10&Twelve.