Há alguns meses me perguntei: “Será que eu tento tirar a chupeta antes de parar de amamentar? Acho que vai ser mais fácil assim. Mas em compensação, tirar o peito sem ter a chupeta deve ser mais difícil, né?”. Talvez o título do post devesse ser “Minha filha largou a chupeta!”, mas acho realmente que o inconsciente fez diferença. Vou explicar.

Guardei essa dúvida pra mim e não compartilhei com mais ninguém. Sabia que as amigas odonto, nutricionistas e as mais naturebas iam ser super a favor de continuar amamentando e tirar a chupeta. As mães que não amamentam e usam a chupeta, já achariam o contrário.

Há alguns meses consegui tirar a wubbanub da Clara e substituir por outros modelos de chupeta numa boa. No começo ela tinha um apego super grande à ovelhinha dela, mas depois de 18 meses com a mesma ovelha (já que não estraga e quase não se perde), passava da hora de tirar (até porque não é recomendada em crianças que já tem dentes, pois não é ortodôntica).

Bom, depois da nossa viagem à Disney em maio a Clarinha estava super apegada na “Pepê”. Aprendeu a falar e pedir. Fazia até biquinho pra falar “Pepê” com a boca cheia de amor. Pensei que ia ficar cada vez mais difícil. Fomos em julho para a California e levei umas 6 chupetas diferentes que foram se perdendo nos 15 dias de viagem. Voltei com apenas 2.

Quando me perguntam sobre “até quando você vai amamentar”, eu respondo: “Não sei!”. Enquanto está confortável pra mim e pra ela e não me impede de fazer nada, eu vou continuar. Já viajei, estou fazendo ballet 2x na semana e ela aceita mamadeira dada por outra pessoa nessas situações. Então porque tirar??? Só temos benefícios com a amamentação, então assim vai continuar.

Conforme agosto foi passando, ela começou a usar menos chupeta. Não me lembro se em algum momento ela sentiu necessidade de fazer uma escolha, não sei se ela ouviu algo, não sei o que deu nela, mas ela foi perdendo o interesse.

chupeta ou peito amamentação
Foto em 8 de agosto

Fomos para Minas e na hora da crise no carro tentei dar a chupeta e ela negava, brava, querendo mamar. Foi aí que meu marido teve um estalo e falou: “Amor, vamos tirar a chupeta dela já! Ela não está querendo, vamos aproveitar!”

No lugar da chupeta dei água, ofereci uvas, biscoito de polvilho e somente quando nada resolvia depois de horas no carro, parei e dei mamá.

Eu não sei se eu falei em algum momento sobre tirar o peito, se ela percebeu que era melhor ficar com ele do que com a chupeta, e como ela sabe que eu não tenho dia pra tirar, ela tratou logo de fazer a escolha dela pra não correr riscos!! hehe

A última vez que ela usou a chupeta (e suuuper pouco, uma com o bico bem pequeno pois não queria as grandes) foi em 22 de agosto. Cá estamos há 3 semanas sem chupetas! As mantive em casa, umas guardadas, uma na bolsa, uma no armário de copos dela e ela não pegou! Não se interessou e não pediu!

Eu achava que era lenda, mas aos 1 ano e 7 meses, aconteceu comigo: “Minha filha largou a chupeta!!!!” 

P.S. Antes que falem besteira: Não, ela não faz o peito de chupeta!!! Não dou mamá depois que levanto da cama; raramente dou mamá a tarde, prefiro pedir pra Nana dar a mamadeira; e ela só mama no peito todos os dias depois das 20h ou 21h, antes de dormir e durante a noite quando dorme comigo. Quando dorme no quarto dela muitas vezes consigo acalmá-la com colo, tapinhas no bumbum e paciência. É prático e passa segurança para as crianças. Recomendo!

Confira também o post Como foi tirar a chupeta da Bruna aos 3 anos. E o post Adeus Peitinho Self Service e Cama Compartilhada. Começamos o desmame noturno (que eu não levo tão a sério, mas serviu pra saber que é possível sim!).

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (5), Clara (3) e Alice (1). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.