3 comments

Oiiii Pessoal!!

Outro dia fiz um post sobre decoração de quartos compartilhados entre irmãos (principalmente de sexos diferentes) e não pude deixar de lembrar do quarto compartilhado entre os pais e filhos.

Vocês devem estar pensando: “Mas esse título do post não condiz com a foto de destaque!” Calma que vou explicar!!

Conforme contei no post sobre o uso do Moisés, quando engravidei da Bru morávamos em um Loft, ou seja, um só quarto. Era fofíssimo… tinha um deck, jardim, etc e era nosso xódo. Eu podia levar a Bru pra tomar sol dando apenas uns 5 passos. rsrs

                             

Não queríamos sair de lá para ir para um apartamento padrão de 2 quartos em um prédio sem estrutura… iria bater um sentimento de andar pra trás, sabe? E outra, não dava pra manter dois  apartamentos, então para trocar de apartamento teria que ser em um que fôssemos ficar por um bom tempo.

Bom, resolvemos que montaríamos o “Cantinho da Bru” dentro do nosso quarto. E foi completo: Cômoda, berço e poltrona. Compramos tudo como se fosse para montar o quarto mesmo… até exagerei no tamanho da cômoda e por isso ficou “um pouco apertado”… mas isso também não atrapalhou. Ficou SUPER prático e funcional.

Como eu comentei no post sobre o moisés, durante os primeiros meses de vida do bebê a rotina é cansativa e desgastante. As noites mal dormidas e as longas mamadas deixam qualquer mamãe (e os pais também) de “cabelo em pé” e as olheiras tomam conta do nosso rosto. O fato da Bru estar no meu quarto ajudou MUITO, mas não abri mão de mantê-la no espaço DELA, e acostumá-la a dormir sozinha. E por isso acho tão importante o uso do moisés e do berço do bebê. Primeiro: não é seguro colocar um bebê para dormir na cama do casal. Segundo: se o bebê cresce nessas condições, fica mais difícil desacostumá-lo depois.

Quando ela começou a “rastejar” e sentar, começamos a nos preocupar mais com as escadas do Loft e com a “esperteza” dela, que começaria a perceber melhor o ambiente, o que poderia dificultar a “transição”. Aceleramos nossa busca.

Quando a Bru completou 6 meses, já estávamos instalados no novo apartamento em meio a caixas e mais caixas, mas felizes! O único cômodo arrumado era o dela, pois começamos a montar 1 semana antes de mudarmos. Bom, mas isso era o principal. O resto era resto. Cumprimos nosso “cronograma” de mantê-la no nosso quarto somente durante a amamentação exclusiva. \o/

Ela ficava engatinhando e bagunçando os adesivos enquanto tentávamos montar e colar. Solução: Gavetão: Olha que fofuraaaa brincando na cômoda. hahaha Calma, foram apenas alguns segundos e ela adorou! kkkkk

A adaptação não poderia ter sido mais fácil, até porquê não precisou de uma. Ela simplesmente continuou dormindo sozinha no berço dela, como todas as noites nos últimos 6 meses. A decoração era a mesma, o móbile idem, e tudo o que ela conseguia enxergar igualzinho antes. A única coisa que mudou foi uma parede entre os quartos, que deu mais privacidade aos papais.

Final Feliz! Rsrs

BJOSSSSSSS

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade.
Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.