16 comments

Oiiiiii pessoalllll!!!!!!!!

Estou por aqui! depois de uns dias sumida do blog. (Não esqueçam que continuo publicando as novidades e nossa rotina no Instagram @AnaluMasi e Twitter.

Bom, retomando…

Escrevi o post na quinta e na hora de salvar o wordpress deu erro de pagina… Conclusão: nao salvou e eu achei q tinha salvo. Pense numa pessoa frustrada horas depois quando resolve postar sem as imagens q estavam com erro e vê que as mesmas substituíram todo o texto!! Kkkkkk é rir pra não chorar!
 
Ok, energias recarregadas no fds.. Hora de escrever novamente. Dessa vez, no celular enquanto amamento. Isso me garante algumas horas por dia sem ter que “parar e abrir o computador”
Na Terça dia 8 escrevi o post “Os pródromos e o pré-trabalho de parto” quando voltei pra casa, depois de uma ida ao hospital com contrações regulares. ATENÇÃO: quem não leu o post, leia… ele é a parte 1.
 
A contração do trabalho de parto
As contrações de treinamento ou de Braxton-Hicks são totalmente diferentes das contrações do trabalho de parto. Eu não conseguia saber bem a hora que passava a contração de treinamento, e as vezes nem percebia que estava contraída. Achava difícil perceber.
Desde a madrugada eu estava com dor lombar, como uma cólica menstrual. Essa dor ficava mais forte durante as contrações. Essa contração sim é mais facil de perceber pois é acompanhada de dor. A dor é uma cólica que começa como uma cólicazinha menstrual, e vai ficando mais forte e com intervalo regular menor. No “final” a contração parecia uma cólica menstrual e intestinal muiiiiiiito forte! E outra: vem desde a lombar! Isso faz muita diferença na hora de perceber a contração.

Esqueci de contar no post que durante o exame de toque, a enfermeira parecia que estava em busca do tesouro perdido. Avisou meu marido que não era para assustar pois ela fazia careta. E quanta careta!!!

Bom, toque feito, hora de ligar pro medico.

Como eu ja disse em detalhes no post, ela passou as informações e ele me pediu repouso e receitou um remédio para inibir as contrações. (Para quem não sabe ele estava viajando e eu queria esperar que ele voltasse de viagem no dia 14.)

Como ainda não havia dilatação achei que realmente o remédio fosse resolver.

Chegando em casa fui ao banheiro com dor de barriga. Ao limpar vi que tinha sangrado “o colo”. Como a enfermeira já tinha avisado não dei muita importância. Fui muito inocente nessa hora, pois no vaso tb tinha uma “melequinha” com sangue e acho que era o meu tampão!

(Conversando com o meu marido no dia seguinte ao parto, chegamos a conclusão que o toque da enfermeira deu uma adiantada no processo.)

Tomei a inibina as 17h mas as contrações não paravam. Lemos na bula que demorava 1h pra fazer efeito… Passou 1h, 1:30h e nada delas acabarem. Nessa hora eu ja estava novamente registrando as contrações no app Baby Bump Pro. Eu achava ainda que estavam piores pelo fato de ter passado o efeito do buscopan q tomei as 2 da tarde, mas na verdade as contrações estavam aumentando (e eu me iludindo).

Contrações mais fortes e intervalos de 5 ou 6 minutos.
Contrações mais fortes e intervalos de 5 ou 6 minutos.

Quando deu 19h, dei um ‘print’ do app de contrações (Baby Bump Pro) e mandei pro médico. Perguntei se ele gostaria de me passar o telefone de uma das medicas que ele deixou aqui de sobreaviso, e quanto tempo demorava para a inibina fazer efeito pois as contrações estavam mais fortes.

 

Senti mais um pouco de dor de barriga.

 

Entrei no banho para tentar relaxar um pouco, sentei e deixei a água quente correr nas costas. Não enchi a banheira pra não adiantar ainda mais o processo.

Minha sogra chegou em casa e depois que me viu achou q a barriga tinha descido. Durante o banho vieram umas 3 contrações mais fortes e vendo minhas pausas na conversa e a cara de dor, ela disse: “Ihhh, minha filha, não sei não!!! Acho melhor voltar pro hospital“.

O medico respondeu a mensagem: “Por favor, o tel dela é xxxx-xxxx. Mas volte para o Enstein!!!”

Penseeeee… Gritei o marido e disse que o medico havia mandado voltar pro hospital. Começamos a juntar as coisas e acreditem, fechar as malas! Ainda não estavam prontas pois na semana anterior minha empregada havia faltado 3 dias depois da folga do reveillon, ou seja, foram 10 dias sem Nana. Meus pijamas ficaram uns 20 dias esperando serem passados (eu não passei pq eles estavam no meio de uma pilha enorme de roupas no banheirinho da área de serviço).

Sorte que no domingo (isso era Terça) eu resolvi passar algumas roupinhas de maternidade da Clara que ainda não haviam sido passadas. Inclusive queimei minha barriga no ferro…. Kkkkk (foto tirada na terça de manhã, antes da drenagem)

Barrigão no dia do parto. 38 semanas e 6 dias, cerca de 12h antes de nascer!
Barrigão no dia do parto. 38 semanas e 6 dias, cerca de 12h antes de nascer!

Bom, nesse dia das contrações liguei a tarde pra Nana e pedi pra ela deixar pelo menos 2 pijamas passados. Entre uma contração e outra eu me vestia, separava as coisas, e o marido correndo de um lado pro outro pegando as coisas. Kkkkk Fui fazer a mala da Clara e tinha até que sentar quando vinham as contrações.

Enquanto isso minha sogra fazia a mala da Bru, pois achamos que eu podia ficar internada e ela precisar ir dormir na minha sogra.

Depois de fecharmos tudo, saímos novamente rumo a maternidade. As Lembrancinhas? Ficaram pra trás. Ninguém tinha cabeça pra lembrar desses detalhes! Hehehe

Do carro ligamos para a medica que pediu que assim que chegássemos e eu fosse examinada, que fizesse o toque e ligasse pra ela avisando. O meu medico ja tinha ligado pra ela!

A cada contração no carro eu me esticava… “Enfiava” o pé no assoalho como se enfiasse o pé no freio, sabe??! E segurava forte o puxador que tem na lateral em cima da cabeça (não lembro o nome!).

Chegando no hospital, me ofereceram a cadeira de rodas, mas preferi ir andando. Em caso de contração, fazia aquela pausa básica e esperava passar.

Dei entrada novamente no “pré-parto” e a tecnica de enfermagem mediu a pressão, temperatura e tal. Disse que ia chamar a enfermeira. Tic tac tic tac… E nada dela chegar.

Dor de barriga, volto eu pro banheiro.Depois deito novamente na maca. Vinha contração, e eu ia pro banheiro. Dor de barriga chata! Já achei q o ‘problema’ era mesmo dor de barriga. Na hora que vinha a contração, dava aquela cólica de matar, dor de barriga, e passava.

Cada vez q vinha eu falava pro Bre: “PQP, cadê essa enfermeira q não vem?!  Ta doendoooo, p****! Que falta de consideração!” 

Ele me pedia calma e esperávamos… Fazer o que.

Quando a enfermeira chegou eu estava no banheiro, de novo. Marido disse que eu achava q era dor de barriga. Quando sai do banheiro, mais uma contração e parei na porta. Ela olhou e disse: isso está com cara de contração, não de dor de barriga! Kkkkkk

Bom, deitei pra ela examinar e colocar o cardiotoco. Diferente do que fiz a tarde (que eu sentia a contração e acompanhava tudo na tela) já não conseguia concentrar em nada além da dor na hora da contração. Enquanto ela colocava as fitas, mais contração.

Ela me perguntou se podia fazer o exame de toque enquanto o aparelho registrava as contrações, pra ir adiantando… Disse que sim.

Quando ela começou, ela olhou pra gente e disse: “Um, Dois, Três, Quatro… (Começou a abrir os dedos….) SETE!!!! Sete cm de dilatação!!! Acho que ela vai nascer hoje!!!”

Eu não acreditava!!! Eu e o Bre nos olhamos com um sorriso trêmulo no rosto! Um misto de felicidade dela estar quase chegando e um baita susto!!!

 

Ela pediu o telefone da médica e correu pro telefone. Eu tb mandei msg pro médico e contei que estava com 7cm de dilatação e q estavam ligando pra Dra. Ele me respondeu: “VOANDO !!!! ”

Em seguida: “Ela esta indo com o marido q é ótimo e o anestesista tb. Vou monitorando”

Eu: Ótimo. Obrigada!

Ele: BOM PARTO. CURTA MUIIIITO!

Fofo. Ja falei que ele adora PN (parto normal) né?! Na verdade se não fosse ele, eu não teria tido coragem e vontade de tentar. Aliás, outras pessoas me serviram de inspiração: Barbara Saleh e Lia, do Portal Uma Mãe das Arábias principalmente, mas sei se várias mamães blogueiras que tiveram VBAC (vaginal birth after caesarian). Fora as mamães amigas que recomendaram o PN, né Camila e Val?

A medica disse q ia correndo pra lá. Eram 21:45h quando ligaram pra ela.

Também mandei mensagem pra Kátia Rocha da Publivideo avisando que estava com 7cm. Ela estava longe mas mandou uma equipe pra lá pra fazer a filmagem e fotos.
A enfermeira começou a preencher a papelada da internação e na hora das contrações eu pedia pro Bre responder naquele tom super carinhoso: “Uaiii Baby, respondeeeee aí!!!” Hahahaha ou talvez tenha saído um “puta merda” em algum momento. Kkkkkkk
Pergunta vai, pergunta vem, veio famosa: “E o resultado do Strepto? Vc sabe qual foi?” E eu: “Sim!! Negativo! Mas esse foi com 35 semanas! Peraí que fiz outro com 38 semanas e o resultado saiu hoje cedo.” iPhone em mãos, abri o aplicativo do Fleury, e surpresa: “Strepto Positivo!!!!” Falei pra ela. Mandei mensagem pro medico, mais uma vez. Avisei que o Strepto estava positivo, mas que eu ja estava avisando a enfermagem, e na hora ele respondeu:
“2g Ampicilina AGORA EV”
Tinha que ser essa dose mais forte. O normal é administrarem 2 doses mais fracas, mas não dava tempo. Sorte que ele estava acompanhando, via msg e direto da Bahia, mas estava. Hehe
A enfermeira saiu da sala para preparar a papelada na recepção e me transferir pra sala de pré-parto 2. Nisso minha sogra estava com a Bru do lado de fora e escutou: “Prepara a internação dela, ela esta com 7cm e deve nascer logo!!!” 

Tadinhaaaaa. Minha sogra não sabia se estavam mesmo falando de mim, mas até então não tinha entrado outra grávida ali. Ela ficou em choque! Ligou pra vovó, mãe dela, e contou que achava q ia nascer! Ligou pros meus cunhados tb pra correrem pra lá. E ela não podia sair dali pq estava com a Bru.

Fui pra sala de pré-parto 2, colocaram o acesso e começou a correr o antibiótico.

Algumas contrações mais tarde, ainda mais fortes!!!, eu desejava que o anestesista chegasse o quanto antes.! E nada!!!

Aí comecei a sentir um “quentinho” durante a contração. Falei pro Bre chamar a enfermeira e avisei que sentia um liquidozinho saindo durante a contração.

Ela pediu pra fazer outro toque, e claro, permiti. Abre dedo, abre dedo e escuto: “Dilatação Total!! Dilatação total, mas a bolsa está integra e bem fina. Não vou mexer pra esperar sua medica. Vou te passar pra sala de parto. Marido, vai se trocar!!”

Lá foi ele se trocar em outro andar! Cada contração mais forte que vinha eu pensava: “Será que ele volta a tempo??!

Ufa, ele voltou. Hehe e nada da medica. Contração vinha e a dor aumentava. Eu perguntava pro Bre onde estava a m**** do anestesista. Até aí já tinham ligado umas 3x pra medica, coitada.

Eu só queria um remédio pra dor, só isso! Mas como a analgesia é feita pelo anestesista, a enfermeira disse q eu tinha q esperar eles chegarem. Ok, não tinha jeito.

Não faço idéia de quanto tempo tinha de intervalo entre as contrações, mas não era muito. A dor intensa durava cerca de 1 minuto ou 1 minuto e meio, e logo depois vinha outra. Acabou de correr todo o antibiótico. UFA 2x!

Tinha uma medica “perambulando” o centro obstétrico esperando uma sala, como eu estava sem medica, ela resolveu sentar com o livrinho dela na minha sala, caso precisassem dela. Ufa!!!

5 minutos depois chegou outra medica, a plantonista do hospital, e dispensou a primeira. Pedi o anestesista plantonista tb, mas nada dele.

Exatas 22:30h no meio de uma contração, minha bolsa se rompeu. Escutei o ploft, senti o líquido saindo e avisei a enfermeira.

Ela pegou as perneiras da maca pra me posicionar para o parto.

Cada contração dessa me dava vontade de fazer o número dois. Eu já sabia que acontecia isso e achava nojento, mas na hora essa é a ultima preocupação que temos. Quando vinha a contração, eu já avisava. E a medica e enfermeiras fofas falavam, “Não se preocupa, a gente limpa”. Recolhiam na hora, lixo e pronto.

A sala de parto parecia um estádio de futebol. Cada hora aparecia um!

Eu era a “gravida que chegou com 7cm de dilatação” ou “gravida que chegou com 7cm de dilatação, está com dilatação total e a médica ainda não chegou!”

Kkkk enfermeira entrando e saindo, a troca das medicas, e de repente eu vejo do lado de fora…. a equipe de filmagem!

Anestesista, nada! Medica, nada. Hahaha eu ja tinha certeza q ia fazer o parto com a medica plantonista q estava lá do meu lado. Dilatação total, bolsa rompida, bebê coroando.

Veio mais uma contração e eu falei: ” ta empurrando!!!!!”

Mais uma e soltei um ” vai sair!!!!” Hahah (Ocultei o: puta merda, ta doendooo…. rsrsrs)

Como se não bastasse a dor, o pro-pé do lado esquerdo estava saindo e ficava no meio do pé! E aquilo me irritandoo!!! hahaha pedi com a gentileza de um elefante: “ou tiram esse negocio do meu pé ou colocam direito.” Estava escapando do pé e coçando, affff. Kkkkk tiraram!

Marido sai da sala de parto e vejo lá fora o anestesista plantonista… Pensei: ufaaaa! ele chegou!!

Descobri 2 dias depois que o marido achou ele muito novinho e não deixou ele entrar naquela hora!!!!!!!!!!!!!!!!! Pensem se a minha vontade era de esganar ele ou não. Hahaha E ele perguntou pro medico quando ele havia se formado!!! Que vergonha!

Ele justifica que não ia deixar aquele medico recém-formado enfiar uma agulha nas minhas costas pq eu podia ter uma contração no meio, me mexer e acontecer alguma coisa! /o\

Ligaram pra medica e ela estava estacionando o carro.

Mais uma contração e senti empurrar muito forte! Quem chega??!! A linda da Dra Clarissa e o marido, que era o segundo obstetra.

Troca mais uma vez os médicos da sala. Eu ja estava posicionada, Clarinha coroando e ela perguntou se eu queria anestesia. Perguntou: “Vamos dar?!! Melhor né?!”

E eu disse: “Sim, se der tempo, vamos! Mas não sei se dá”

E ela: há então ok! Vamos anestesiar ela….

E eu disse: aiiiiiii, ta vindo outraaaaaa!!!

Depois que a bolsa rompeu era impossível não fazer força junto com a contração. É quase involuntário. Conforme o bebe empurra, vc tb quer empurrar e forçar pra ele sair. O termo q usei na hora foi: “dá vontade de empurrar”.

Passada a contração, a medica perguntou de novo: vamos dar anestesia? Então ta! Posiciona ela, gente. Vamos lá.

E veio outra, e a Clarinha estava quase lá! Não dava tempo!

O Breno estava atrás de mim e via a cabecinha coroando!!! E ele disse: “Não, vai assim mesmo!!!” Hahahah “Olha lá está saindo!!!!”

Ele pensava: “Tipo, ela aguentou até agora e ja esta saindo! Fica sem anestesia mesmo!!” ……. É mole??!!

A medica disse: “É, nao vai dar tempo mesmo. Vou fazer um cortezinho pra ajudar aqui, ta?! Ana, vai ser na próxima hein!!”

No meio da contração ela deu uma anestesia local de xilocaína pra fazer a episiotomia e em seguida, a episio.

Eu olhava pro lado e o mocinho da foto (ou era o do vídeo?) estava olhando com uma cara de pânico pra mim com contração. Kkkkkk

Na hora que veio a contração, veio junto a imensa vontade de empurrar. Eu falava que ia sair, o Bre falava que estava saindo, e a medica falou pra eu continuar fazendo a força.

A Clarinha estava com o rosto de lado e não conseguia sair. A medica virou a cabecinha dela pra baixo e mais uma força, saiu a cabeça. Dali a poucos segundos mais uma força e senti saindo os ombros e corpo!

Claro que na hora doi, mas não é uma dor aguda como algumas contrações parecidas com cólica, é uma vontade de expulsar mesmo, uma pressão muito grande.

E ela saiu, linda a cabeluda, às 22:41h. Isso mesmo. Menos de 5 minutos depois que a medica chegou, 11 minutos depois de romper a bolsa, e menos de 1h depois de ser examinada com 7cm de dilatação. Eu saí do parto contando pra minha sogra, cunhados, mãe, que depois que a médica chegou a Clarinha nasceu em mais 3 contrações.

Fotos: Publivideo (miniatura q recebi no e-mail
Fotos: Publivideo (miniatura q recebi no e-mail)
 
Logo que nasceu, a medica a colocou no meu colo, ainda sujinha! A coisa mais linda e gostosa.
Fotos: Publivideo (miniatura q recebi no e-mail)
Fotos: Publivideo (miniatura q recebi no e-mail)
Ficou um pouquinho e foi pro bercinho aquecido dentro da sala de parto para ser limpada e avaliada. Recebeu notas 9 e 10 no Teste de Apgar.
Teste de Apgar: (fonte: Babycenter)
Um minuto após nascer e novamente aos cinco minutos de vida fora do útero, seu bebê será avaliado da seguinte forma:
• Frequência cardíaca
• Respiração
• Tônus muscular
• Reflexos
• Cor da pele
Cada um destes itens recebe uma nota entre 0 e 2 para se chegar a um total geral. Grande parte dos recém-nascidos recebe entre 7 e 10, não requerendo nenhum tratamento imediato, como, por exemplo, auxílio para respirar.

De repente lembrei: minha sogra e a Bruna estavam lá fora e esquecemos de liberar o vidro da sala para que eles pudessem ver! Se não fosse tanta confusão e “correria” eu tinha liberado antes, até na hora que estivesse saindo kkkkkkkk mas não lembrei e ninguém lembrou.

Coitados!!! Depois de 7 minutos que ela nasceu eu falei: “Bre, a sua mãe!!!! Esquecemos do vidro!” E a medica perguntou: “nossa, mas tem platéia? Deu tempo??! Heheh” e aí liberamos a janela!

Nela estavam minha sogra, Bru e meus cunhados, padrinhos da Clara.

Eles já estavam aflitos pois o parto foi muito rápido e eles viam os flashes do fotógrafo pelo lado de fora e imaginavam que ela tinha nascido, mas não viam e não sabiam de nada. E ninguém queria sair dali, né??!

Logo após o nascimento
Logo após o nascimento (o médico ainda estava tentando tirar a placenta)
Abrimos, eles viram e se derreteram. Depois a Clara voltou pra mim. Ficou mais uns minutinhos no meu “colo” e em seguida foi pra outra sala com o Bre para pesar e tal.
O médico (ali na foto) ainda estava tirando a placenta… demorou mais que o bebê, mas não senti dor ou desconforto, como algumas pessoas falam. Senti sair, óbvio, mas foi tranquilo.
Eu não sabia, mas a medica morava em Santo André!! Estava em casa assistindo novela e só teve tempo de pular dentro de um vestido. Depois do parto ela dizia que estava rezando pra não encontrar ninguém pois o sapato nem combinava com o vestido! Haha enquanto ela fechava a episio eu dava risada. Simples assim. O bebê saiu, a dor sumiu. O marido dela dizia que agora pra sair com ela ele ia falar: 7cm!!! Que ela se aprontaria rapidinho! 
Ela disse que meu parto era parto de novela da Globo, super rápido!! Foi um “parto expulsivo”, como ela disse.

Descobri depois de tudo que o meu limiar de dor é bem alto, pois além de tudo ela dizia q eu ia sentir um incômodo enquanto ela dava os pontos e não senti nada. Disse que incomodaria ainda mais quando ela estivesse “revisando o segmento” (devido a minha cesárea anterior ela tinha que sentir por dentro se não tinha rompido nada) E tb não senti incomodo muito menos dor.

A Clarinha não pôde voltar pra sala de parto e mamar pq o ar condicionado estava muitooo gelado pra ela.

Minha perna começou a tremer um pouco… Pular. Acho q cansou da posição e estava com frio, mas ja estava acabando.

Acabou, me tiraram e levaram de volta pra sala de pré-parto que eu estava antes, agora chamada de “sala de recuperação Pós-anestésica” (mesmo sem ter tomado anestesia) e me levaram a pequena. Começou a mamar bem e logo, claro que só colostro.

Não, não deu tempo de me maquiar! rsrs
Não, não deu tempo de me maquiar! rsrs
Ali já começamos a receber “visita”. Minha sogra e a Bruneca entraram, depois revezamos e vieram meus cunhados padrinhos da Clara e depois meus outros cunhados.
Bruneca conhecendo a irmã
Bruneca conhecendo a irmã
Ficamos naquela sala mais de 1h e depois fomos para o quarto. Acho que já era mais de meia-noite. Aproveitei pra dar atenção pra Bruneca.
Dando atenção pra Bruneca
Dando atenção pra Bruneca

 

Quase 1h da manha e minha mãe também chegou. Veio direto de Minas e não sabia nem que tinha nascido pq estava concentrada nos seus 140km/h na Fernão Dias e nem pegou no celular pra saber. Menos mal. Rsrs

Marido e família aproveitaram que minha mãe chegou e saíram pra comeRmorar. 2 da manhã e a Bru estava no New Dog comendo “Patata Pita” (batata frita) e sorvete! Hahaha

As enfermeiras tb pediram comida pra mim e veio um lanche super caprichado!

Como a Clara já havia mamado bastante “lá embaixo” no quinto andar, quando subiu ja foi pro berçário. Minha mãe a viu pelo vidro depois que deram o banho nela.

Eles só a levaram novamente pro quarto as 5 da manhã pra mamar, para que eu descansasse.

Marido voltou 3 e pouco e não conseguíamos dormir. Ficávamos relembrando, comentando sobre o parto e o que a medica falou, o que o pessoal dizia no instagram, como aconteceu. Foi tudo tão rápido e intenso.. A adrenalina não me deixou fechar o olho antes das 4:30h. Dormi suuuuper pouco na primeira noite, mas feliz da vida.

Nossa primeira manhã juntas
Nossa primeira manhã juntas
Bru e a irmã…
Bru e a irmã
Bru e a irmã
Fico devendo um post da recuperação do PN e comparação dos partos que tive!
Atualização: Depois de muito tempo percebi que não me preparei para o PN. Não me preparei para o trabalho de parto, a episiotomia, para a retirada da placenta, não me informei, não me preparei como eu deveria. Leiam o post “Sobre o Meu Renascimento do Parto”.
Bjosssssssssss
Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade.
Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.