1 comment

A alergia alimentar é uma reação do sistema imune que identifica uma proteína como um mal a ser combatido. Com o tempo muitas vezes o organismo se torna tolerante e a criança pode voltar a consumir aquele alimento. Uma forma de verificar se a criança está curada da alergia é fazer o teste de provocação. O desencadeamento oral em determinados casos também pode servir para o tratamento para a alergia alimentar, acelerando sua cura. Ele deve ser feito sob supervisão médica em ambiente hospitalar ou ambulatorial.

Alergia alimentar a ovo da Alice

Como contei no post Consultamos um alergista! Precauções e orientações para bebê com alergia alimentar (ovo), optamos por fazer a exclusão total do ovo na alimentação da Alice, porém quando me consultei com a Dra Ariana Yang (médica alergista especialista em alergia alimentar), ela recomendou que eu (Mãe) voltasse a comer os ovos dentro de 3 meses e se a Alice não mostrasse qualquer reação que deveria manter na minha alimentação e tratá-la somente evitando alimentos com ovo. (ela tinha refluxo quando eu comia ovo e ela era amamentada, e por isso fiz a exclusão da minha dieta por um curto período).

Como se fosse uma vacina, a quantidade de proteína que passa através do leite materno ajuda nesse processo.

Passados 6 meses refizemos os exames (com 1 ano) e o prognóstico só melhorou. O resultado do exame laboratorial que era 1,79 caiu para 0,50, quando o valor normal é até 0,35. Ela saiu da Classe 2 (vai até 6) e está com alergia Classe 1 para a proteína ovoalbumina e continua negativa para ovomucóide.

Prognóstico

Cerca de 50% das crianças alérgicas a ovo se curam até os 2 anos, de 60-70% até 3 anos e cerca de 90% ficam tolerantes antes dos 5 anos, principalmente se for alergia a ovoalbumina.

Passamos em consulta ontem e a Dra Ariana me deu duas alternativas:

  1. Continuar a exclusão e esperar até 2 anos para ver se ela vai estar tolerante
  2. fazer um tratamento que “provoca” que o organismo dela comece a tolerar a proteína. Chamado também de dessensibilização, são oferecidas pequenas doses diárias de um alimento cozido que contenha ovos em sua composição, acelerando esse processo.

Ela disse que ela geralmente tem bons resultados então optei por fazer o tratamento para tentar acelerar essa cura. (Para quem tiver interesse tem trabalhos científicos que mostram esse resultado – tem um aqui em inglês).  Como temos planos de viajar pra fora (contei aqui) em meados de abril ou maio, seria muito mais tranquilo se ela estiver livre da alergia e sem riscos de reagir se consumir por acidente uma massa ou alimento com ovos.

Como é feito o tratamento para alergia alimentar a ovo?

O tratamento com “Baked EGG” é feito em 3 etapas de desencadeamento Oral (ou teste de provocação). É necessário que seja realizado em ambiente equipado para monitorar o paciente e seja supervisionado por médico experiente e treinado para tratamento de uma eventual reação alérgica.

A reintrodução do alimento em cada uma das etapas será feita no Instituto de Alergia (IAC – clínica da Dra Ariana), onde precisamos passar todo o período (manhã ou tarde) em observação.

1a parte: Desencadeamento Oral para Ovo Processado

Preciso levar de casa um macarrão cozido (com massa de ovos, claro) e na clínica vamos oferecer um pouco. Após um período oferecemos uma porção maior e ela fica em observação por 2 horas.

Caso ela tolere esse alimento, ele deve ser oferecido em casa em pequenas quantidades (pequenas mesmo, tipo 3 bolinhas de macarrão no meio da refeição) diariamente durante um mês.

2a parte: Desencadeamento Oral com Ovo assado

É preciso oferecer um alimento assado que contenha como ingrediente o ovo. Pode ser um pedaço de bolo ou biscoito de polvilho que contenha ovo.
Assim como na segunda parte, ele será oferecido em casa em pequenas quantidades durante o mês.

3a parte: Desencadeamento Oral com Ovo inteiro

Nessa última etapa, verificamos se ela está tolerante ao ovo inteiro. Pode ser um omelete, ovo cozido, crepioca, enfim, qualquer preparação rápida que leve o ovo inteiro.

Novamente precisamos oferecer pela primeira vez na clínica e ficar em observação.

A cada uma dessas etapas, passamos em consulta com a médica que explica como deve ser feita a rotina em casa para o mês seguinte. Ao final da terceira, saberemos se ela já está tolerante e recebemos as demais instruções em relação a cuidados ou quantidade a ser oferecida.

Para a realização dessas etapas de desencadeamento oral, a criança não deve estar fazendo uso de antialérgicos e corticóides e nem estar com gripe e infecções pois a reação pode ser mais forte.

Depois que começarmos o tratamento conto pra vocês.

alice IAC instituto de alergia ovo

Contato do Instituto de Alergia Campinas:

Bjss

Aninha

 

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade.
Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.