1 comment

Uma vez um amigo blogueiro comentou que estava se mudando de um apartamento em São Paulo para uma casa em Sorocaba para ter mais qualidade de vida. Eu achei legal mas não imaginava que no meu caso faria tanta diferença, já que eu morava num bairro tranquilo e arborizado fora de São Paulo, onde não tinha muita bagunça, barulho e eu resolvia tudo rápido.

Até que…. depois de 2 anos com o meu marido dirigindo 200km por dia, trabalhando em Campinas e morando em Alphaville, resolvemos nos mudar.

O que eu não sabia é que: não era somente a mudança Capital -> interior que faria diferença, mas o conjunto Capital+apartamento, interior+casa sim. Para a maioria dos nossos compromissos são necessários de 10 a 15 minutos de carro. Isso porque moramos “fora” dos bairros mais ‘comerciais’. No início pensamos em morar em um apartamento próximo ao trabalho do marido, mas ele manifestou a vontade que tinha de ter uma casa, um quintal e liberdade.

Enfim, achamos a nossa casa e no fundo dela tinha uma Jabuticabeira. Mas… não adianta jogar um “menino da cidade” numa casa com quintal que a árvore não vai dar muitos frutos sozinha. Não deu por 8 meses. Achávamos que era só pela época do ano, até que recebemos a visita do avô do meu marido em casa e ele disse que era necessário regar a árvore todos os dias e que teríamos frutos mais de uma vez ao ano. Escutamos a experiência e a voz da sabedoria. Um mês depois lá estava nossa árvore dando frutos e as meninas encantadas. (foto em 2 de setembro)

jabuticabeira
Expliquei a elas sobre a importância de cuidar das plantas, de tê-las por perto para ajudar a filtrar o ar que respiramos. A Bruna sempre vai no pé colher Jabuticaba e nem precisa de ajuda. Sobe na mesinha do jardim e resolve. No final de semana levou pra cozinha mais de 10 frutinhas colhidas por ela.

jabuticabeira em casa

Outra árvore que nos encanta é a amoreira. No condomínio tem várias delas e estamos aproveitando mais uma época de frutos. No primeiro dia em que vimos que elas estavam cheias, foi o dia que levei as meninas no parquinho. Foi debaixo da sombra da amoreira que a Alice dormiu. (31 de agosto – Alice com 38 dias)

colhendo amoras qualidade de vida c

Foi ali que minhas pequenas ficaram apontando onde viam amoras maduras. Foram andando de árvore em árvore escolhendo as frutas que estavam prontas. E com uma cumplicidade que só os irmãos tem, a Bruna abaixava o galho para que a Clara alcançasse a fruta e colhesse ela mesma. <3

colhendo amoras qualidade de vida crianças

Como haviam levado a cestinha de piquenique (que ganhamos da Camila Messias), colocaram algumas frutinhas sobre a cesta. E eu ali observando e curtindo aquele momento.

colhendo amoras qualidade de vida

Ontem a Bruna levou amoras para todos os amiguinhos da escola que colhemos na hora de sair. Hoje a Clara me pediu para ir ao parquinho e quando chegamos vi que a amoreira estava carregada de frutos maduros! Ao contrário de todas as outras vezes em que pegamos frutas em vários pés, dessa vez em um único pé de amora enchi dois copinhos rasos de frutas e ainda ficaram muitas lá. Que coisa linda de ver! Desse jeito vale a pena se sujar, né?

amoras

Hoje foi um daqueles dias em que eu deixei os probleminhas de lado e vi a beleza da vida. Obrigada Deus por essa oportunidade!

A quem interessar, o clima de Campinas é ótimo, quente e as meninas estão muito mais saudáveis, menos doentes e a Bruna sem Otites seguidas! rss 😉

por do sol

Bjosss

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.