Amamentação após 1 ano de vida do bebê, afinal, é bom ou não? O Leite Materno é fraco? Ele atrapalha a alimentação e o ganho de peso do bebê? Não!

Vamos por partes.

O Leite Materno (LM) é a principal fonte de nutrientes do bebê menor de 6 meses, e depois desse período é necessário complementar com a alimentação. Temos um período de até 6 meses para fazer a adaptação total, pois a partir de um ano o leite materno passa a ser complementar a alimentação, que por sua vez é agora a principal fonte de nutrientes e responsável pelo ganho de peso.

Mas ele (LM) não é “agua suja” como já ouvi uma vez. A Nutricionista Infantil Karine Durães bem disse no post dela:

Como pode, um alimento passar de padrão ouro, do melhor do mundo, para o limbo em apenas um ano?

Se o leite materno realmente não fosse o melhor, porque esse corre-corre para fazer algo minimamente parecido com ele para crianças maiores de 1 ano?

O grande vilão – responsável pela falta de apetite e falta ganho de peso (pelo menos da falta de ganho de peso da Clara) definitivamente não é o Leite Materno fraco como alguns dizem e sim o mau uso que fazemos dele ou de qualquer outro alimento quando é oferecido fora de hora, atrapalhando as refeições.

Amamentação em Livre Demanda não é a mesma coisa que Amamentar fora de hora!  (na teoria eu sou ótima, na prática eu sei que falhei. kkkk Contei no post “Urgente: Mudança de rotina e alimentação“)

Amamentação em Livre Demanda é muito importante quando o bebê é pequeno. É fundamental deixá-lo mamar SEM LIMITE DE TEMPO no mesmo seio, mas isso não impede que a rotina seja estabelecida. Na verdade só depende de vontade e empenho da mãe, mas às vezes nós, mães, nos “apoiamos” no seio como uma forma de alimentar + acalmar + ter prazer e acabamos deixando a rotina de lado pela praticidade de oferecer o seio, ainda mais se tiver sido um processo de introdução à alimentação trabalhoso.

Para continuar a amamentar após os 6 meses e, principalmente, após o primeiro ano de vida de maneira a garantir o bom desenvolvimento e ganho de peso do bebê, algumas “regrinhas” precisam ser seguidas: (*baseado na minha experiência como mãe e necessidades da minha filha)

  • Hora de almoçar e jantar, é hora de comer comida. (e isso inclui não oferecer leite 1-2h antes das refeições)
  • Respeite o horário das frutas e sucos.
  • Depois que o bebê entrar na rotina de alimentação sólida a amamentação pode ser “reduzida” a 3x/dia (Manhã +- às 7/8h, Tarde +- 14h e Noite 21h) *Claro que depende da rotina e horário de dormir de cada um e se o bebê acorda a noite.
  • O LEITE MATERNO PODE ser oferecido após as refeições, pois é levemente ácido e possui a lactoferrina, auxiliando assim a absorção do ferro.
  • Leite de vaca e derivados (assim como as fórmulas infantis) são contra-indicados após as refeições pois o cálcio dificulta a absorção do ferro.

    Ressalta-se que o leite materno é considerado fator protetor contra Anemia por Deficiência de Ferro devido à alta biodisponibilidade do ferro existente. Estudos evidenciam associação de anemia em crianças que tiveram pouco tempo de aleitamento materno exclusivo, alimentação prolongada com leite de vaca e com a introdução da alimentação complementar precoce.

    FONTE: Grupo Virtual de Amamentação / Agradecimentos – instagram: @babynutri | @ instamamentar | @yaraguariglia | @alinesterque

Lembre-se: Nunca é tarde para colocar rotina e “entrar na linha”. E não precisa fazer o desmame para isso, basta força de vontade, disciplina e paciência com a alimentação. Haja paciência! rs Eu estou conseguindo!

Além disso, cada criança tem o seu biótipo. O que é pouco (alimento) para um é suficiente para outro. Você e sua irmã ou sua amiga comem a mesma quantidade e tem o mesmo corpo? Acho que não.

SE FOR da vontade da mãe e do bebê continuar a amamentação, sigam tranquilos e felizes. Se NÃO FOR, existem produtos ótimos similares (que eu uso desde os 8 meses das meninas; diariamente para a Bru e eventualmente para a Clara) no mercado.

Vamos fazer nossa escolha e sermos felizes com ela?

Na semana passada falei sobre Como e Quando fazer o desmame. Viu?? Se não, clica aqui para ler.

Na semana que vem vou listar os motivos que me fizeram parar de amamentar a Bruna aos 10 meses e os que me fizeram continuar com a amamentação da Clara! Aguardem!!! 

Bjossssss

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.